A população de idosos no Brasil cresceu significativamente nos últimos anos. Segundo dados divulgados pelo DIEESE dos 210 milhões de brasileiros 34 milhões eram idosos em 2019.

A OMS considera como idoso a pessoa acima de 60 anos, e com o crescimento desta população cada vez mais se discute sobre como manter os cuidados e a qualidade de vida durante o processo de envelhecimento.

Alguns fatores parecem ser consenso para que o idoso tenha uma vida ativa e satisfatória, como integração social, prática de atividades físicas, acompanhamento de um geriatra, boa alimentação, acesso às medicações etc.

Independência

O ideal é manter a independência o quanto possível, desde que não implique em riscos. Mas por mais independente que o idoso possa ser os cuidados são essenciais para proporcionar sensação de acolhimento, além de garantir a segurança deste idoso.

Adaptações na residência

Muitas famílias demoram a perceber a necessidade de adaptações na residência e apenas o fazem após algum acidente, como queda por exemplo que é bastante comum na terceira idade.

Conforme estudo realizado pelo Hospital Sírio Libanês, aproximadamente 30% das pessoas com mais de 65 anos de idade caem pelo menos uma vez por ano. Depois dos 80 anos de idade, essa porcentagem pode chegar a 50%.

As quedas podem significar um problema de saúde de base e não apenas desequilíbrio ou fraqueza muscular relacionada a idade, por isso em caso de quedas é muito importante investigar se não há problemas cardíacos ou neurológicos, por exemplo.

Alguns detalhes que podem fazer a diferença como retirar tapetes, cuidar para que pisos não estejam escorregadios, adaptar o banheiro com barras, cadeiras, fitas antiderrapantes, acento de vaso sanitário mais elevado, ducha higienizadora, instalar luzes noturnas no quarto para não permanecer totalmente escuro etc. com o objetivo de evitar acidentes.

Tratamento humanizado

O aspecto afetivo é também muito importante, há uma tendência em focar a preocupação nas questões práticas, mais ligadas ao ambiente, alimentação, medicação e visitas ao médico, mas o aspecto humano não pode ser deixado de lado.

O idoso precisa estar com a saúde mental em dia, pois muitos perdem seus cônjuges ou familiares e estão mais propensos a depressão. Por isso um círculo afetivo pode fazer toda a diferença na qualidade de vida do idoso, respeitando sempre, é claro, as limitações e a personalidade de cada um.

Lazer

O lazer na terceira idade é outro fator importante que pode ser decisivo para a saúde mental do idoso.

Com o passar dos anos, pessoas abandonam hobbies e deixam de ter momentos de lazer pois estão ocupados demais com as tarefas do dia a dia, como trabalho, estudo, cuidar das crianças etc.

No entanto, com a aposentadoria vem a sensação de vazio, pois muitas atividades prazerosas foram abandonadas para suprir as necessidades da vida cotidiana, sendo este um bom momento para retomar pequenos prazeres que fazem diferença no dia a dia.

A aposentadoria é um excelente momento para resgatar antigos hobbies, reconectar-se com a natureza, realizar atividades manuais, ou qualquer outra atividade que proporcione bem-estar nesta nova etapa da vida.

Gostou de saber mais sobre como cuidar do seu idoso? Compartilhe essas informações, visite nosso site e confira nossas dicas!

commebol