Neste último ano as pessoas têm permanecido grande parte do tempo em casa, seja no trabalho em home office, cuidando das crianças que estão estudando online, ou mesmo nos momentos de lazer devido ao fechamento dos estabelecimentos.

Este contexto de pandemia provocou o aumento do número de acidentes domésticos, principalmente envolvendo crianças, pessoas portadoras de necessidades especiais e idosos.

Um estudo elaborado pela Sociedade Brasileira de Queimaduras – SBQ, revelou que as maiores afetadas com queimaduras em ambiente doméstico, são as crianças, cerca de 40% das vítimas. Segundo este estudo, os afogamentos são a segunda maior causa de morte e a sétima de hospitalização por motivos acidentais entre crianças com idade de zero a 14 anos.

Diante desta constatação a SBQ e a ONG Criança Segura Safe Kids Brasil, criaram a cartilha “Casa Segura, Criança Protegida – Prevenção de acidentes domésticos com crianças e adolescentes”, para auxiliar na orientação de pais e tutores, voltada para o momento de pandemia do coronavírus, a qual segundo a cartilha, provocou também uma epidemia de acidentes.

Como prevenir acidentes domésticos?

Algumas medidas simples podem ser adotadas pelos pais, ou mesmo por cuidadores de idosos e pessoas com necessidades especiais, sejam eles parentes, ou profissionais.

Confira agora algumas precauções que podem ser tomadas para evitar acidentes domésticos:

  • Não deixar as crianças sozinhas próximas a água;
  • Evitar deixar brinquedos ou objetos que chamem a atenção da criança na piscina ou outros recipientes com água;
  • Proteja as piscinas com cercas de no mínimo 1,5 metro de altura;
  • Oriente as crianças a não correr próximo a água e fazerem brincadeiras perigosas como a de simular que estão se afogando;
  • Manter as portas dos banheiros, lavanderias, caixas-d’água etc. sempre fechadas:
  • Manter produtos tóxicos nas suas embalagens originais;
  • Escolher tintas atóxicas para uso na residência;
  • Dar preferência a consumir produtos que tenham trava de segurança;
  • Orientar a criança sobre remédios e não se refira a eles como “doces” ou guloseimas no intuito de convencer os pequenos a tomar;
  • Não misture produtos químicos ou de limpeza e guarde-os em locais seguros e distante do alcance das crianças;
  • Evite o uso de produtos de limpeza sem garantia de qualidade e segurança;
  • Escolha cuidadosamente as plantas do ambiente e oriente as crianças para não as arrancar ou tocar nelas;
  • Evite cuidar das crianças próximo a panelas quentes ou enquanto cozinha;
  • Cuidado com eletrodomésticos em mau estado de conservação, como ventiladores e geladeiras e verifique sempre a segurança das instalações elétricas;
  • Cuidado ao usar álcool gel para acender fogão e outros eletrodomésticos, pois a chama é transparente e não é possível perceber que há fogo residual.

Conclusão

O lar é o local de repouso e tranquilidade, mas esconde verdadeiras armadilhas para crianças e pessoas mais vulneráveis. Por isso, quando o assunto é evitar acidentes domésticos, é melhor pecar pelo excesso do que pela omissão, pois as estatísticas são alarmantes e estão aí para nos mostrar o quanto é importante prestar atenção nisso.

Gostou de saber mais sobre prevenção de acidentes domésticos? Compartilhe essas informações, visite nosso site e confira nossas dicas ou fale conosco!